Festival Varilux de Cinema Francês 2018 (Saladearte Cinema do Museu)

headVarilux2018-Museu

O Festival – A Retrospectiva

A maratona de filmes franceses já tem data para recomeçar. De 21 a 27 de junho, a Saladearte Cinema do Museu recebe a retrospectiva do Festival Varilux de Cinema Francês de 2018.

Produzido pela Bonfilm, o evento tem patrocínio principal da Varilux/Essilor, Ministério da Cultura por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Programação:

SALADEARTE CINEMA DO MUSEU
Dia 21/06 (Quinta-feira) Dia 22/06 (Sexta-feira)
16:00 – O Orgulho 14:15 – 50 São os Novos 30
17:45 – Gauguin: Viagem ao Taiti 16:00 – De Carona para o Amor
19:35 – Nos Vemos no Paraíso 17:55 – Carnívoras
19:35 – Custódia
Dia 23/06 (Sábado) Dia 24/06 (Domingo)
14:00 – O Poder de Diane 13:00 – A Raposa Má
15:35 – O Retorno do Herói 14:30 – 50 São os Novos 30
17:15 – Promessa ao Amanhecer 16:15 – Nos Vemos no Paraíso
18:20 – O Orgulho
20:05 – A Aparição
Dia 25/06 (Segunda-feira) Dia 26/06 (Terça-feira)
13:30 – O Retorno do Herói 16:00 – Troca de Rainhas
15:10 – Carnívoras 18:00 – Marvin
17:00 – A Busca do Chef Ducasse 20:05 – Primavera em Casablanca
18:35 – A Excêntrica Família de Gaspard
20:30 – A Noite Devorou o Mundo
Dia 27/06 (Quarta-feira)
18:00 – Primavera em Casablanca
20:10 – O Amante Duplo

 

Anúncios

Festival Varilux de Cinema Francês 2018

ThumbZZ (Z)

De Costa-Gavras. Com Yves Montand, Jean-Louis Trintignant, Jacques Perrin, Irene Papas. França, 1969. Tendo como trama principal o assassinato de um político liberal (Yves Montand), simulando um acidente, é retratado o caso Lambrakis. Ato acontecido, na Grécia, no início da década de 60, no qual a investigação sobre a morte do político foi, escandalosamente, encoberta por uma rede de corrupção e ilegalidade pela polícia e pelo exército. 01h40.

Z foi o primeiro filme a ser indicado na categoria melhor filme estrangeiro no Oscar, em 1970. Recebeu, ainda, três outras indicações, nas categorias de melhor filme, melhor diretor e melhor roteiro adaptado. No Festival de Cannes, em 1969, recebeu o Prêmio do Júri e o de melhor ator para Jean-Louis Trintignant. Z também foi indicado à Palma de Ouro.

Saladearte Cinema da UFBA:

17/06 (Domingo) – 19h50

Festival Varilux de Cinema Francês 2018

ThumbDeCaronaAmorDe Carona para o Amor (Tout Le Monde Debout)

De Franck Dubosc. Com Franck Dubosc, Alexandra Lamy. França, 2018. Jocelyn, bem-sucedido homem de negócios, é um sedutor e mentiroso inveterado. Apesar de cansado de si mesmo, acaba seduzindo uma jovem bonita, fingindo ser deficiente, até o dia em que ela lhe apresenta sua irmã, que é realmente deficiente. 01h47.

“Uma comédia romântica sem notas falsas, aborda a deficiência com fineza, sem condescendência ou zombaria gratuita.” E.M. (Le Journal du Dimanche).

Saladearte Cine Paseo:

07/06 (Quinta-feira) – 11:00

11/06 (Segunda-feira) – 20h25

15/06 (Sexta-feira) – 16h35

19/06 (Terça-feira) – 12h45

Saladearte Cinema da UFBA:

09/06 (Sábado) – 18h05

13/06 (Quarta-feira) – 18h15

Saladearte Cinema do Museu:

22/06 (Sexta-feira) – 16h

CinePapo – Inquietações Contemporâneas

CINE PAPO – INQUIETAÇÕES CONTEMPORÂNEAS
ENTRADA FRANCA

Ciclo de cinema em Salvador discute inquietações contemporâneas – O projeto CinePapo será realizado em cinco encontros, na Saladearte Cinema do Museu.

Uma sessão de cinema e conversa. Essa é a proposta do projeto “CinePapo – Inquietações Contemporâneas”, que acontece gratuitamente a partir do dia 30 de novembro, às 19 horas, na Saladearte Cinema do Museu, em Salvador. No total, serão realizados cinco encontros, um por mês, sempre numa quinta-feira, até abril de 2018.

A cada encontro, o público poderá conferir um filme seguido de um bate-papo. Após a sessão de cinema, dois convidados vão puxar a conversa sobre as diferentes inquietações apresentadas em cada filme. O primeiro encontro do projeto vai discutir “Loucuras discretas, famílias normais”, inquietação a partir do longa-metragem “É apenas o Fim do Mundo”, do premiado cineasta canadense Xavier Dolan. Também serão discutidos os temas “Questões de gênero” (em dezembro), “Disrupturas” (em janeiro), “Fantasias de amor e sexo” (em março) e “Saudade” (em abril).

O projeto tem a curadoria de Marcelo Sá, diretor de projetos do Circuito Saladearte, e conta com a participação dos convidados Marcelo Veras (psiquiatra e psicanalista), Marcela Antelo (psicanalista), Andrea Hortélio Fernandes (professora e psicanalista), Célia Fiamenghi (psicanalista), Cibele Prado Barbiere (psicanalista), Martín Mezza (psicanalista), Alfredo Jerusalinsky (professor e psicanalista), Claudio Carvalho (psicanalista e escritor), Victor Palomo (psiquiatra e escritor) e José Antonio Saja (professor).

30/11/17 14/12/17
Filme: É APENAS O FIM DO MUNDO Filme: EU, MAMÃE E OS MENINOS
Inquietação: Loucuras Discretas, Famílias Normais Inquietação: Questões de Gênero
Convidados: Marcelo Veras e Marcela Antelo Convidados: Célia Fiamenghi e Andrea H. Fernandes
25/01/18 05/04/18
Filme: RELATOS SELVAGENS Filme: KIKI -OS SEGREDOS DE DESEJO
Inquietação: Disrupturas Inquietação: Fantasias de Amor e Sexo
Convidados: Cibele P. Barbiere e Martín Mezza Convidados: Cláudio Carvalho e Alfredo Jerusalinsky
26/04/18
Filme: CENTRAL DO BRASIL
Inquietação:Saudade
Convidados: Saja e Victor Palomo

O figurino de Cao Albuquerque

Cao clicado por Walter Salles

Talvez assim pelo nome você não o reconheça de imediato, mas certamente o trabalho dele já chamou a sua atenção na TV ou no cinema. Cao Albuquerque é a assinatura por trás do figurino de alguns dos principais programas da TV brasileira e de filmes que marcaram a cinematografia nacional recente. Esse carismático baiano que adotou o Rio de Janeiro aos 18 anos como morada e meio de vida é figura certa nas equipes de Guel Arraes, Walter Salles, entre outros diretores. Fixado na Rede Globo desde a década de 80, ele é responsável pela concepção do visual marcante dos personagens de Comédia da Vida Privada, As Filhas da Mãe, A Muralha, Caramuru, O Auto da Compadecida, A Grande Família e muitas outras atrações da emissora.

Cao mudou-se de Salvador para o Rio por insistência dos amigos e ao chegar lá, viu que a cidade era realmente a sua cara como diziam. Num primeiro momento, foi acolhido pela cantora Marina Lima, que juntamente com Caetano Veloso forma a dupla que Cao considera seus “padrinhos”. Depois de fazer o figurino do show Velô, em 84 – parceria que continuaria se repetindo por 20 anos – o talento de Cao chegou à Rede Globo a convite da atriz e roteirista Patrycia Travassos, que o levou para trabalhar na equipe do então novíssimo seriado Armação Ilimitada.

A partir daí, seu domínio sobre as criações de figurino para TV e shows ganhou corpo. Já naquela época, Cao “vestiu” artistas como Gilberto Gil, Gal Costa, Blitz, Lobão, além de Caetano Veloso e Marina. Desde sempre alinhado na trilha do sucesso, nesses anos de efervescência também fez parte da equipe do TV Pirata – outro programa que se tornaria um clássico da comédia nacional.

Com muita experiência e um evidente toque autoral em seu trabalho, Cao Albuquerque afirma que sempre obedece aos objetivos estéticos dos projetos nos quais se envolve. Sua pesquisa para elaborar o look dos personagens segue uma metodologia que parte do mundo real, com consulta a pinturas, retratos e outros materiais disponíveis como referência. Assim, ele elabora trabalhos que seguem basicamente três vertentes: contemporânea, de época e o kitsch. Essa última, de aspecto mais farsesco, Cao admite trazer muito de suas referências pessoais, como imagens de sua infância na Baixa dos Sapateiros, em Salvador.

Com o caráter mutante do ofício de figurinista, Cao não especifica influências. As fontes variam de acordo com o projeto e a busca passa por materiais, modos de fazer, usos e finalidades. Assumindo-se como um artista e prestador de serviço em uma obra, diante de uma realidade que muda a cada dia, ele segue um misto de intuição e pragmatismo que resulta em roupas e acessórios que ocupam as cenas com a força de um personagem.

Atualmente, Cao está envolvido com três equipes de figurino – uma do programa A Grande Família, outra na peça do diretor Guel Arraes com estreia prevista para o mês de abril, e a terceira de um novo programa da Globo, com o humorista Bruno Mazzeo.

Cao está sempre à frente de várias equipes de figurino

Exposição em Salvador

Na exposição que integra o IMAGEM FASHION em Salvador, Cao optou por trazer figurinos de época, que segundo ele demandam um maior trabalho de pesquisa e certamente causará maior impacto em contraste com a moda contemporânea exibida nas vitrines do Shopping Paralela, onde serão exibidos. Nesse contexto, a exposição propõe ao público fazer uma abstração sobre de onde veio e para onde vai a moda.

Os 14 looks expostos trazem figurinos utilizados nos filmes Caramuru, O Auto da Compadecida e Romance e na série A Muralha

  • Caramuru (4 da condessa interpretada por Débora Bloch, e 2 do personagem-título, interpretado por Selton Melo)
  • O Auto da Compadecida (a Nossa Senhora interpretada por Fernanda Montenegro, o Jesus de Maurício Gonçalves e o Diabo vivido por Luís Melo)
  • Romance (2 de Letícia Sabatella vivendo Isolda no teatro e no sertão, 1 do sertanejo vivido por Vladimir Brichta e 1 do coronel vivido por Marco Nanini, que mede 4m de diâmetro)
  • Um traje medieval utilizado pelo ator Luís Melo na série A Muralha.

SERVIÇO:

Exposição O Figurino de Cao Albuquerque
Quando: de 19/03 a 04/04/2010
Onde: Shopping Paralela

Mostra Cao Albuquerque no Cinema – filmes
Quando: 22 a 25/03/2003
Horário: Sempre às 11h
Onde: Cinema UCI – Shopping Paralela
Entrada franca